MARTE E SOL: AÇÃO CONSCIENTE


Apolo, o deus Sol romano, atravessando a abóboda celeste em sua carrugem

Por Tereza Kawall

Temos no céu de agora ( até 19 de fevereiro) Sol e Marte juntos em Aquário. Na Astrologia, esses dois planetas têm uma polaridade positiva ou masculina.
O Sol representa a nossa essência e nos define como uma entidade consciente e distinta. Marte por sua vez, é a força de ação e coragem que mostra como essa individualidade vai lutar e crescer no mundo.
Em analogia, poderíamos dizer que o Sol é um rei que, para governar, precisa dos serviços de um guerreiro, e este vai ajudá-lo a realizar seus mais altos ideais.

Desta forma, Marte é o agente ativo da nossa psique , que nos impele ao desenvolvimento , o impulso positivo que temos à nossa disposição para poder dominar o mundo exterior.
É a agressividade saudável, a necessidade de se impor através de sucessivas habilidades que vamos adquirindo desde o nascimento ao longo da vida.

Ir à luta! Estar na batalha de... são expressões tipicamente marcianas, que expressam ações de atitudes de lutar por um lugar no mundo, com garra e determinação.

Todos temos uma missão a ser cumprida, uma vocação,um destino a ser realizado. Quanto mais conscientes desta força e deste caminho, mais gratificante se torna a existência.
Deixe um comentário!





“Em suas memórias póstumas, este pensamento se completa. Também ali ele ( Jung) narra o que dizia em sua carta sobre chefe dos índios pueblos, Ochwían Biano, que acreditava ajudar o Sol a levantar-se todas as manhãs.

E Jung procurava encontrar para o homem moderno um mito tão transcendental ou vital como aquele. Isso se revela em sua vida, no seu trabalho de anos: Iluminar a escuridão do Criador.

Dar consciência no sentido junguiano não significa racionalizar, mas sim projetar-se com “essa luz que é seu tesouro” e que emana daquela mesma “central” misteriosa da pessoa, do indivíduo, para dirigir-se ao reino das trevas e ir incorporando-o num processo sem fim.

Jung vê nos olhos dos animais o sofrimento da noite da criação, o medo de uma região em que não existe ainda a luz. E acredita descobrir que eles necessitam de nós, esperam que lhes revelemos o mundo e o mistério de suas existências dolorosas, para que os contemplemos e os reflitamos, projetando-os na luz.
Em uma palavra: para que cheguemos a ser o espelho da criação, do animal, da árvore, do rio, da pedra e talvez, de Deus mesmo.

Somos enfim, a consciência do mundo, o espelho da flor; a natureza nos formou através das idades, para que a revelemos, para que a contemplemos me sua efemeridade, em sua evanescência. E aí estão, pois, os seres, os objetos sacramentais, esperando-nos. Nós passamos e não sabemos. Passamos, sem ver, sem olhar.
Passamos sem saber que a flor grita porque a admiramos, que a frigideira espera nosso bom dia matinal, que o Sol necessita que o ajudemos a manter-se no alto, que a Terra deseja ser auxiliada no seu movimento de rotação.

E quando chegarmos a olhar a flor, ela sabe disso, sente e nos devolverá esse olhar com alguma forma de amor, talvez quando estivermos nos dissolvendo no seio da terra”.
Do Livro: Círculo Hermético : de Herman Hesse para Carl G Jung
Miguel Serrano
Editora Brasiliense,1973.
Deixe um comentário!
A Roda da Vida tibetana ( Bhavachakra em sânscrito), que representa o ciclo da vida, morte e reencarnação, contida nas garras do terrível Senhor da Morte. Os três animais ao centro da roda representam os "três venenos": o porco como a ignorancia, a cobra como a raiva e a agressão, e o galo retratando a luxúria e o desejo que levam ao apego.

Por Stanislav Grof

“ A história intelectual da humanidade tem triunfos incríveis. Conseguimos aprender os segredos da energia nuclear, enviar espaçonaves à lua e todos os planetas do sistema solar, transmitir sons e imagens coloridas para todo o globo e todo o espaço cósmico, romper o código do DNA e começar a fazer experiências de clonagem e engenharia genética. Ao mesmo tempo, essas tecnologias superiores estão sendo usadas a serviço de emoções primitivas e impulsos instintivos que não são muito diferentes daqueles que dirigiam o comportamento das pessoas na Idade da Pedra”.


Quantias inimagináveis têm sido gastas na insanidade da corrida armamentista e o uso de até mesmo uma fração minúscula do arsenal atômico existente destruiria toda a vida na face na terra.

A ganância insaciável está levando as pessoas à perseguição frenética de lucros e aquisições de propriedades pessoais além de qualquer limite razoável. Essa estratégia resultou em uma situação na qual, além do fantasma de uma guerra nuclear, a humanidade está ameaçada por vários outros cenários do Juízo Final, sem espetáculo, mais insidiosos e mais previsíveis.

Entre eles, estão, a poluição industrial do solo, da água e do ar, a ameaça de acidentes e lixos nucleares, a destruição da camada de ozônio, o efeito estufa, a possível perda de oxigênio do planeta através do desmatamento temerário e do envenenamento do plâncton oceânico e os perigos de aditivos tóxicos em nossa comida e bebida.
A isso, podemos acrescentar vários desenvolvimentos de natureza menos apocalíptica, mas igualmente perturbadora, tais como a extinção de espécies acontecendo em proporções astronômicas, a falta de moradia e a fome de uma porcentagem significativa da população mundial, a deterioração da família e crises de paternidade e maternidade, o desaparecimento de valores espirituais, a falta de esperança e perspectivas positivas, a perda da conexão significativa com a natureza e alienação generalizada.

Considerando o papel proeminente da violência e da ganância na história da raça humana, a possibilidade de transformar a humanidade moderna em uma espécie de indivíduos capazes de coexistência pacifica com outros homens e mulheres sem distinção de raça, cor, credo religioso ou convicção política, sem falar nas outras espécies, certamente não parece muito plausível. Estamos perante a necessidade de instilar a humanidade com profundos valores éticos, sensibilidade às necessidades alheias, aceitação voluntária da simplicidade e uma consciência aguda dos imperativos ecológicos.À primeira vista, tal tarefa parece demasiado fantástica, até mesmo um filme de ficção científica.


“ Negociações diplomáticas, medidas administrativas e legais, sanções econômicas e sociais, intervenções militares e outros esforços semelhantes têm obtido muito pouco sucesso. Na realidade, eles freqüentemente têm produzido mais problemas do que soluções. Torna-se cada vez mais claro porque estavam fadados ao fracasso. As estratégias usadas para aliviar essa crise estão desde o inicio enraizadas na mesma ideologia que a criou.

Em ultima análise, a atual crise global é basicamente de natureza psicoespiritual: ele reflete o nível de evolução da consciência da espécie humana.

É portanto, difícil imaginar que ela possa ser resolvida sem uma radical transformação interna da humanidade, em larga escala, e sua elevação a um nível mais alto de maturidade emocional e consciência espiritual.
Do livro: Psicologia do Futuro
Editora Heresis

Léo e o seu chapéu





Léo e seu chapéu

Baby Léo me disse um dia:
-Vovó, vamos passear?
Sim, disse eu; e onde está o seu chapéu?
Hoje tem sol, e azul está o céu
-Vovó, eu não acho o meu chapéu...
-Dá prá gente ficar na sombra da árvore?

Tá bom Léo, então vamos levar um livro,
Seus lápis de cor e um pincel.
-Vovó?
-Sim?
-E onde vou desenhar?
-Eu tenho aqui algumas folhas de papel,
Algumas coloridas, e um apontador.

-Ô vó!
-Diga.
-A minha mãe fez um lanchinho pra gente...
Ah, sabe, eu pedi um pastel,
Mas ela diz que para mim é melhor
Banana com mel...

-Bom, Léo,
Estou chegando aí para te pegar!
-Vó!
- Achei meu chapéu!

E assim, desenhamos, deitamos na grama, demos risada com as nuvens passantes,
comemos o lanche...
O restinho ficou para as formigas.
Achamos uma joaninha , duas minhocas,
e uma pedra verde engraçada..

Eu e o Léo.
E todas as minhas preocupações
Foram para o beleléu...


Vó Tereza.

SER FELIZ

Foto de Anette Atasoy

10 Mandamentos para ser feliz:


1- Curta mais a sua companhia

Aprenda a viver feliz mesmo sozinho. Convide um amigo para ir ao cinema, mas se não encontrar alguém disponível vá com a pessoa mais fascinante do mundo: você mesmo.

2- Tenha alto astral

As pessoas competentes são aquelas que conseguem manter uma postura positiva mesmo nos momentos mais difíceis. Ficar com cara carrancuda, só piora a situação e não ajuda na resolução dos problemas.

3- Viva com paixão

Procure estar por perto de pessoas com alegria de viver e manter-se afastado de indivíduos baixo astral, aqueles que secam até arruda e pimenteira.

4- Cuide bem do seu corpo

Alimentação, sono e exercícios são fundamentais para uma vida saudável. Lembre-se, o seu corpo é o seu templo. Gostar de você mesmo, significa gostar dos outros e deixar as portas abertas para que gostem da gente também.

5- Invista em você todos os dias

Nós somos arquitetos da nossa personalidade. Quando a pessoa nasce Deus lhe dá um potencial infinito que poucas aproveitam. Pense em si mesma e trabalhe firme. Ser o cocriador de si é o maior desafio da vida.

6- Celebre as vitórias .

Compartilhe seu sucesso com pessoas queridas. Mesmo as pequenas conquistas devem ser celebrada com alegria. Grite, chore, encha-se de energia para os próximos desafios.

7- Tenha uma vida espiritual .

Conversar com Deus é o máximo, especialmente, para agradecer as dádivas recebidas. Mantenha o hábito de rezar antes de dormir, é bom para o sono e melhor ainda para a alma. A oração e a meditação são forças de inspiração.

8- Crie tempo para as pessoas importantes da vida .

Filhos, maridos, pais e irmãos são as pessoas que vão estar com você nos melhores e piores momentos da sua vida. Embora eles não pareçam tão importantes na correria do dia a dia, são eles que darão força para continuar.

9- Tenha amigos vencedores

Campeões falam de e com campeões. Perdedores só tocam na tecla perdedores. O diz-me com quem andas, continua válido, mais do que nunca.

10- Diga adeus para quem não lhe merece .

Alimentar relacionamentos que só trazem sofrimento é uma forma cruel de masoquismo. Não deixe que relacionamentos inconsistentes atrapalhem sua vida. Se você tiver um marido em casa que não esteja usando: empreste, venda, alugue, doe para uma instituição de caridade, enfim, deixe o espaço livre para um novo amor.

FELIZ 2011 PARA TODOS!!!
ROBERTO SHINYASHIKI