Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2013

LIZ GREENE E A DEPRESSÃO

Imagem
“A alquimia, a escuridão e desintegração que vão tomando conta e envolvem o imaginário da caveira, ou “ crânio”, são chamadas de nigredo. Este estágio do processo alquímico reflete o rompimento da velha substancia em seus componentes essenciais. Sem nigredo não há a possibilidade de a velha substância básica ser transformada, pois primeiramente ela tem de ser revelada, limpa e reduzida à sua essência; e isso não pode ser realizado se a decadência ou a morte. Sem a nigredo não há a possibilidade de que algo novo cresça.... Portanto a nigredo da alquimia é uma imagem de uma fase específica do processo alquímico, que é, em sua inteira realidade, uma descrição do desenvolvimento e da transformação psicológicas. Ela reflete os problemas de ser apanhado n a experiência da mortalidade e do mundo mais escuro da sombra. Muitas vezes essa fase, quando experimentada por um adulto, é uma espécie de regressão a fase da infância, em que o ego maduro destrói todos os sentimentos primitivos

JUNG E A ASTROLOGIA

Imagem
                       O homem zodiacal( século XV) Os quatro elementos da astrologia ( fogo, ar, terra e água) são os blocos básicos para a construção de todas as estruturas materiais de todos orgânicos. Cada elemento representa um tipo básico de energia e consciência, operando em cada um de nós. Assim como a física moderna demonstrou que energia é matéria, os 4 elementos se entrelaçam e combinam para formar toda a matéria”. “ Assim como muda a compreensão do homem a respeito de suas religiões e de seus deuses, muito embora eles ainda continuem a existir de uma forma ou outra, assim também a astrologia ainda existe, como existe a necessidade que o homem tem dela, a despeito de todas as tentativas para racionalizá-la fora da existência. Devemos, porém, reavaliar nossa forma de abordá-la, vendo-a não simplesmente como uma disposição ordenada de pistas celestiais que indicam o nosso fado imutável, conforme tem sido tradicionalmente encarada, mas antes utilizando-a como um