Céu e Terra


Mirra Alfassa, A Mãe

Para que serviria o homem
Se ele não fosse feito
Para estender uma ponte
Entre Aquilo que é eternamente,
Mas não é manifestado,
E o que é manifestado,
Entre todas as transcendências,
Entre todos os esplendores
Da vida divina
E toda a obscura
Dolorosa ignorância
Do mundo material?

O homem é o elo entre o que deve ser e o que é;
Ele é a passarela estendida
Sobre o abismo,
Ele é o grande X em cruz,
O traço de união quaternário.
Seu domicílio verdadeiro,
A sede efetiva de sua consciência
Deve estar no mundo intermediário
Que é o ponto de junção
Dos quatro braços da cruz,
Lá onde todo o infinito do
Impensável vem tomar forma precisa
Para ser projetado
Na inumerável manifestação...

Este centro é um lugar de amor supremo
De consciência perfeita,
De puro e total conhecimento.
Estabelece lá, Senhor,
Aqueles que podem devem e querem servir-Te verdadeiramente,
A fim de que Tua obra possa
Realizar-se,
Que a ponte seja definitivamente estabelecida
E que incansavelmente
Tuas forças possam espalhar-se no Mundo

Comentários

Denise disse…
Termina em prece uma das mais lindas descrições que já vi sobre o papel do homem e a sua relação com Deus - o Amor Supremo!

Lindo de viver, Tereza!!
Grata por partilhar tamanha preciosidade.

Bjos

Postagens mais visitadas deste blog

Labirinto de Chartres

CRISTO, ARQUÉTIPO DA SÍNTESE E DO SELF

PARACELSO E OS ELEMENTAIS