O QUE É UM MITO?



Um mito é um modo de dar sentido a um mundo sem sentido. Mitos são padrões narrativos que dão significado à nossa existência... Mitos são como as vigas de uma casa: invisíveis a uma visão exterior, são a estrutura que mantém a casa de pé para que as pessoas possam morar nela.
Por meio de seus mitos uma sociedade dá a seus membros alívio para a culpa neurótica e para a ansiedade excessiva. 
Na antiga Grécia, por exemplo, quando os mitos eram vitais e fortes, nos indivíduos na sociedade eram capazes de enfrentar os problemas de existência sem ansiedade opressiva ou sentimentos de culpa. Por isso, encontramos os filósofos daquela época discutindo beleza, verdade, bondade e coragem como valores na vida humana. Os mitos liberaram Platão, Ésquilo e Sófocles para criar suas grandes  obras literárias e filosóficas, que nos foram legadas como preciosidades.
Os mitos são nossa auto-interpretação de nosso Self interior em relação ao mundo externo. Suas histórias por meio das quais nossa sociedade se unifica. Os mitos são essenciais para o processo de sobrevivência da alma, num mundo muitas vezes difícil e sem sentido. Tais aspectos da eternidade, como beleza, amor, grandes idéias aprecem súbita ou gradualmente na linguagem dos mitos”. 
Rolo May.

“ É por meio dos mitos que os homens são suspensos acima de suas capacidades no cotidiano, alcançam visões poderosas do futuro e realizam tais visões.
Peter Berger, em” Pirâmides do Sacrifício”.

Segundo Thomas Mann, o mito é a verdade eterna em contraste com a verdade empírica. Contudo o mito transcende o tempo. Não importa se Adão e Eva existiram, mas o mito a seu respeito, contido na Bíblia, ainda apresenta a imagem do nascimento e do desenvolvimento da consciência, válido para todas as pessoas de todas as idades e religiões.  
“ O mito não é arte, embora esteja presente em todas elas. O mito oferece mais, pois seus métodos e funções são diferentes. O mito é uma forma de expressão que revela um processo de pensamento e de sentimento - a consciência do homem e sua reposta ao universo, a seus companheiros e ao seu outro eu. É uma projeção de forma concreta e dramática dos medos e desejos, totalmente inacessíveis e inexprimíveis de outra forma”.
Lillian Feder em “O mito antigo na poesia moderna”; Princeton University Press, 1971.

"Eis aí nossa era atual... curvada sobre o extermínio do mito. O homem hoje, despojado de seus mitos, permanece esfomeado em meio a todo seu passado e precisa cavar freneticamente por raízes, estejam estas na mais remota antiguidade”.
Friedrich Nietzsche, em “O nascimento da Tragédia do Espírito da Música”.

“Todo individuo busca – e precisa encontrar se quiser manter-se são – uma ordem, uma coerência ao fluxo de suas sensações, emoções ou idéias que habitam o seu consciente, sejam estas vindas de dentro ou de fora. Assim sendo, os mestres encarregados de  ensinar a virtude e a coragem aos jovens – que os gregos chamavam de Areté – compreenderam que o mito seria o fundamento dos valores e da ética”.
 Rollo May.

Extraído do livro “A procura do mito”,  de Rollo May,  Editora Manole, 1996, São Paulo.
Imagens: Esculturas de Nêmesis, que representa a Justiça e Hércules, herói grego coberto com a pele do leão de Neméia.

0 comentários: