ASTROLOGIA ARQUETÍPICA













ASTROLOGIA ARQUETÍPICA 
Por James Hillman
" Diferentemente do seu comportamento com o seu trabalho
( do astrólogo) e da defesa do seu campo, meu comportamento é somente com um interesse permanente, um amor até, pela astrologia como um fenômeno arquetípico, quer dizer, difundido, eterno, emocionalmente sedutor, profundamente ressonante e generativamente fértil - e também poderosamente sedutor.

Consequentemente, por causa destas qualidades, o termo arquetípico é apropriado para esse campo.
Se for arquetípica, a astrologia veio para ficar, porque não desaparece, deve ser arquetípica. E ela não desaparecerá".

...Tal convicção veio com aquela primeira leitura que fiz para estudar a astrologia. Esse interesse permanente, essa fascinação, esse amor nunca me deixou. Ao mesmo tempo devo deixar claro para vocês que não acredito nela, não a pratico, nem mesmo entendo como " funciona", embora a astrologia seja uma das minhas linguagens básicas para a reflexão astrológica.

Para mim, a astrologia simplesmente devolve os eventos para os Deuses. Ela depende de imagens tiradas dos céus. ela invoca um sentido politeísta, mítico, poético, metafórico do que é fatalmente real. é isto que torna a astrologia eficaz como um campo, como uma linguagem, como um modo de pensar.

Ela é quem traz para o pensamento popular a grande tradição que mantém todos nós que participamos de um cosmos inteligível, desta maneira dando a questões humanas repostas maiores que as humanas.
Força-nos a imaginar e pensar em termos psicológicos complexos. ela é politeísta, e consequentemente, move-se em oposição ao pensamento dominante da história ocidental".

ASTROLOGIA : SEMPRE ATUAL


Hermes, o mensageiro dos deuses, com seu capacete alado, suas sandálias aladas e o caduceu

" Não resta duvida para mim, de que a astrologia é o meio mais exato e abrangente de compreender a personalidade, o comportamento, a mudança e o desenvolvimento do ser humano.

Muitas vezes me perguntaram por que a astrologia tem presenciado tal renovação da popularidade nos últimos anos. Penso que parte da resposta está no fato de que a cultura ocidental já não tem qualquer mitologia viável para sustenta-la. Em qualquer cultura, o mito sempre atua com uma realidade maior, mais universal. 

As pessoas sempre tiveram necessidade de um modelo para  servir de guia às suas vidas coletivas e para dar significado à sua experiencia individual. Neste sentido, a astrologia contém toda uma estrutura mitológica. O professor Joseph Campbell  escreve: 
" O homem não pode se manter no universo sem acreditar em alguma arrumação da herança geral do mito. De fato, até mesmo a plenitude de sua vida pareceria estar em relação direta com a profundidade e o alcance, não do seu desenvolvimento racional, mas de sua mitologia local"

Campbell declara que o mito tem três funções essenciais: ' provocar um temor respeitoso", "originar uma cosmologia' e "iniciar o individuo nas realidades da sua própria psique". Conforme muitas pessoas estão descobrindo hoje em dia, o uso adequado da astrologia preenche todas as três funções.

Daí, se concordarmos com a definição de mito, dada por Campbell, creio que devemos concordar que a astrologia, conforme o fez durante eras do passado, oferece uma prática e vital mitologia para os nossos tempos".

Stephen Arroyo em " Astrologia, Psicologia e os quatro elementos"
Editora Pensamento

O QUE É UMA SINASTRIA?



 VOCÊ SABE O QUE É UMA SINASTRIA?

         “O encontro de duas personalidades é como o contato de duas substâncias químicas; se     houver alguma reação, as duas serão transformadas.” Carl G Jung

A palavra SINASTRIA vem do grego  SYN , que significa “ junto” e ASTROS, que, como sabemos, são estrelas.

A Sinastria, dentro do saber astrológico, é uma técnica de análise e compreensão feita partir de dois mapas astrológicos individuais, que são analisados lado a lado.

O objetivo da Sinastria é entender como o campo vibratório de uma pessoa afeta o campo vibratório da outra. Essa interação, dada pelos símbolos astrológicos, pode se dar em vários níveis: físico ou vital, intelectual, emocional, espiritual, etc.

Essa análise pode ser feita entre casais, pais e filhos, sócios,  todas as relações ou parcerias em geral.
Em nossa vida cotidiana percebemos isso às vezes de forma mais intuitiva, quando nos sentimos compreendidos, alegres, vitalizados junto a uma determinada pessoa. E o contrário também acontece, quando nos sentimos cansados, desvitalizados e a comunicação simplesmente não funciona.

Assim, é possível analisar em mapas natais de duas pessoas os pontos de estimulação, proteção, boa comunicação tanto quanto áreas de frustração, atritos, incompatibilidades, disputas ou desencorajamento recíprocos.  Com uma sinastria, podemos compreender melhor as dificuldades da vida a dois e otimizar as áreas do relacionamento que fluem com mais dinamismo e entendimento.

O grande benefício da sinastria é favorecer o entendimento das próprias necessidades, assim como as do outros. Desta feita, é preciso que se faça a interpretação individual de cada mapa astrológico para que os dois lados estejam cientes da natureza intrínseca dos envolvidos.

Caso esteja interessada/o entre em contato:
tekav@uol.com.br