O SELF E A LUZ CIRCULAR



Marie-Louise von Franz

O Si-mesmo (Self)  só é real se, em cada momento – pelo menos teoricamente,pois na realidade nunca se atinge esse estágio – a pessoa estiver constantemente em ligação com ele, expressando-o constantemente e  sabendo o que é. 
Portanto, pode-se afirmar que o Si-mesmo só se torna real quando é expresso nas ações da pessoa no espaço e no tempo. Antes de ter atingido esse estágio, ele não é inteiramente real, tornando-se então uma coisa movediça.

Por exemplo: o que está certo hoje pode estar errado amanhã, sendo por isso que alguém que atingiu esse estado de consciência será imprevisível e age sempre de modo diferente nas mesmas situações. Hoje, a coisa é assim e a pessoa reagirá de uma maneira; amanhã ocorrerá a mesma situação e a pessoa reagirá de forma diferente, e, portanto o tempo adquire uma qualidade criativa; cada momento do tempo é uma possibilidade criativa e não existem mais repetições.

Assim, quando o sol e a lua se unem, começam simultaneamente a percorrer um ciclo que se relaciona com o tempo, Isso é simbolizado na alquimia oriental através do processo da circulação da luz; depois de ter descoberto a luz interna, ela começa a girar por si mesma. Em o Segredo da Flor de Ouro e na alquimia isto chama-se circulatio, a rotação, e existem numerosos textos alquímicos diferentes, nos quais se diz que a pedra filosofal tem que circular. Normalmente, isso está ligado ao simbolismo do tempo, pois esses textos afirmam que a pedra filosofal tem que atravessar o inverno, a primavera, o verão e o outono, ou tem que passar por todas as horas do dia e da noite. Ela tem que circular por todas as qualidades e todos os elementos, ou tem que ir da terra para o céu e voltar de novo à terra. 

Está sempre presente a idéia de que, depois de ter sido produzida, ela começa a circular.

Psicologicamente, isso significa que o Si-mesmo começa a se manifestar no espaço e no tempo, que não se converte em algo num certo momento com um retorno subseqüente ao modo de vida anterior do indivíduo, mas, ao contrário, tem efeito imediato sobre a vida toda; portanto, ação e reação estão constantemente de acordo com o Si-mesmo, real e manifesto em seus próprios movimentos.
 A pedra, ou a nova luz, o Si-mesmo, pode mover-se. Naturalmente, temos de prestar atenção nele mas, se assim fizermos, ele poderá movimentar-se e produzir movimentos autônomos.

Do livro: ALQUIMIA: Introdução ao Simbolismo e à Psicologia
Editora Cultrix pg 144

0 comentários: