A QUADRATURA DO CÍRCULO


Por Etienne Perrot

" O homem moderno muito frequentemente vive "nas alturas".

 Falta-lhe o contato com sua terra interior. Quando se establece esse contato, o centro da consciencia se desloca, produzindo o que certos ensinamentos espirituais denominam " a descida da cabeça ao coração".

É a operação alquímica da "quadratura do círculo", um dos nomes do início da obra.
O círculo é o ceú; o quadrado é a terra. O círculo transformado em quadrado é o " céu terrestre".

Muitas mandalas representam precisamente um círculo inscrito num quadrado.
A coincidência de dois planos faz nascer em nós  um sentimento de fecundidade. 
Do inconsceinte sobem forças que renovam nossa vida sem cessar, impedindo a esclerose 
do hábito.
Aí  estão o "rio da vida" e a " árvore da vida" também denominada " árvore filosófica".

Publicado na Planeta Especial de 1975, centenário do nascimento de Carl G Jung.

0 comentários: