DESVENDAR A SI MESMO


Por Tereza Kawall

Num dia em que Jupiter em Cancer faz trígono com Sol e Netuno em Peixes, e com a Lua em Escorpião, imersão em águas de emoções agridoces....

E assim, vão transcorrendo os dias
Céleres como as águas do rio depois da chuva
Rápidos como nuvens levadas pelos ventos
em dias límpidos, quando
o pulmão sente o frescor do ar frio, pentrando as narinas.
Estas, por sua vez, aspiram novidades
que ainda se escondem por aí e , ainda não reveladas, mas pressentidas.

Um pássaro voa de lá prá cá
Em busca de outro galho, da volta para o ninho, quiçá um pouco de comida.

Assim também os pensamentos passeiam instáveis,
e vão pousando em nossas mentes por breves momentos,
Para depois alçar vôo.

No incansável vai e vem da existencia, dizem os mestres: " Isto também passará".
Somos passantes,
Somos nascentes, de águam, luz e escuridão.
Transeuntes das calçadas atemporais
e às vezes infernais da vida.
Os passos buscam por um quê de automatismo
Ou um quê de outros significados.
E nunca param, pois o movimento, seja para trás ou para frente é inerente
ao longo processo do viver e do morrer.

Em ziguezague, para cima e para baixo, não importa,
Um espírito inquieto
Vai chorar e se alegrar para sempre
A espreita de algum sonho ou mistério insondável

E se render aos segredos divinos
Que se mostram delicada e espontaneamente,
Mas nunca totalmente.


  
Jon Kabat-Zinn

É fácil se deixar levar pela impressão de que meditação é interiorizar-se, ou habitar dentro de si mesmo. Mas o "dentro" e o " fora" são distinções limitadas. Na tranquilidade da prática formal, realmente voltamos nossas energias para o dentro, apenas para descobrir que acomodamos o mundo inteiro no nosso corpo e na nossa mente. Habitando o interior por longos períodos, descobrimos algo da pobreza de olhar sempre para fora de nós, à procura de felicidade, compreensão e sabedoria. Não é que deus, o ambiente ou outras pessoas não possam nos ajudar a ser felizes ou encontrar satisfação. É que nossa felicidade, satisfação e compreensão, mesmo de Deus, não serão mais profundas do que nossa capacidade de conhecer a nós mesmos interiormente, de enfrentar o mundo exterior no conforto que provém de estar à vontade consigo mesmo, de uma íntma familiaridade com os caminhos do nosso corpo e da nossa mente. Permanecendo tranquilos e fazendo uma busca interior um pouco cada dia, tocamos o que há de mais real e confiavel em nós mesmos e que é muito facilmente negligenciado e não desenvolvido. Quando conseguimos nos centrar, mesmo que seja por breves períodos em função do apelo do mundo exterior, não tendo que procurar em outro lugar por algo que nos preencha e nos faça felizes, podemos ficar à vontade onde quer que estejamos, em paz com as coisas, como elas são, momento a momento.

 " Não saia de sua casa para ver as flores.
 Meu amigo, não se preocupe com esta excursão.
 Em seu corpo existgem flores.
 Uma flor tem mil pétalas que servirão como um lugar para sentar.
 Aí sentando, você terá um vislumbre da beleza Dentro e fora de seu corpo,
 Aquém e além dos jardins"
 KABIR "

 O pesado é a raiz do leve.
O imóvel é a origem de todo movimento.
 assim o mestre viaja o dia inteiro
sem deixar a casa.
 Embora a paisagem seja resplandecente, ela permanece serena em si mesma.
 Por que deveria o senhor da terra esvoaçar por aí como um tolo?
 Se você se deixa soprar para lá e para cá,
 Perde contato com a sua raiz.
 Se deixa que a impaciencia mexa como você,
 Perde contato com o que você é".
 LAO-TSÉ, Tao- te- Ching.

 " Dirija um olhar bem para dentro, e você encontrará milhares de regiões ainda por descobrir
 Em sua mente.
 Percorra-as e torne-se perito em cosmografia doméstica"
 THOREAU, Walden

TENTE: Da proxima vez que tiver um sentimento de insatisfação, de que alguma coisa está faltando, ou não está bem, volte-se para interior apenas como um experiencia. Veja se pode captar a energia desse exato momento. Em vez de pegar uma revista ou ir ao cinema, chamar um amigo ou procurar alguma coisa para comer, ou agir de outro modo, reserve um lugar para si mesmo. Sente-se e inspire, ainda que por poucos minutos. Não procure nada - nem flores, nem luz, nem uma bela paisagem. Não exalte as virutdes nem condene a inadequação de algo. Nem pense com você mesmo " Estou interiorizando agora". Apenas sente-se. Habite o centro do mundo. Deixe que as coisas sejam como elas são.

 Do livro: Mente Alerta - Título original: Wherever you go, there you are.
 Autor : Jon Kabat-Zinn
Editora Objetiva, RJ, 2001