Emilio Carrera e Ney Matogrosso "Se eu quiser falar com Deus"



  Roberto Carlos havia pedido uma canção à Gilberto Gil. Nas palavbras de Gil a sua reação foi:
" O que chegou a mim como tendo sido a reação dele, Roberto Carlos, foi que ele disse que aquela não era a idéia de Deus que ele tem."O Deus desconhecido". ali, a configuração não é de um Deus nítido, com um perfil claro, definido. a canção( mais filosofal, nesse sentido, do que religiosa) não é necessariamente sobre um Deus, mas sobre a realidade última: o vazio de Deus: o vazio-Deus".

" Alguma coisa desse Deus-buraco parece estar contida na letra de ' Se eu quiser falar com Deus".

" A criação do efeito veio por impulso, instintivamente: a sequência de ' nadas"( treze no total) insinunado suvessivas camadas de buraco, criando a experctativa de algo e culminando com uma luz no fim ( do túnel, da estrada, da vida), quer dizer ,deixando entrever, embutida na morte, a possibilidade de realização de uma existência num plano diferente de tudo o que se possa imaginar, mas que de qualquer maneira se imagina existir; a possibilidade de transmutação - com o desaparecimento do corpo físico, da entidade psíquica a que chamamos de alma, insconsciente,eu- para outra coisa, outra forma de consciência de todo modo imprevisível, se não for mesmo nada".

Do livro " Gilberto Gil - Todas as letras"
Organização Carlos Rennó
Companhia das Letras, SP







0 comentários: