JUNG E DEUS




DO PONTO DE VISTA DO CRISTIANISMO DOGMÁTICO, JUNG ERA UM OUTSIDER.

APESAR DE SUA FAMA MUNDIAL, OS CRÍTICOS DE SUA OBRA SEMPRE O FIZERAM SENTIR ISSO. ELE AGUENTOU TAL OPOSIÇÃO E NAS LINHAS DESTE LIVRO ENCONTRAMOS AQUI E ALI VESTÍGIOS DESSE DESAPONTAMENTO AO CONSTATAR QUE SUAS IDÉIAS RELIGIOSAS NÃO FORAM TOTALMENTE COMPREENDIDAS. 
POR MAIS DE UMA VEZ ELE DEMOSNTROU SUA DECEPÇÃO RESMUNGANDO: 
NA IDADE MÉDIA EU TERIA SIDO QUEIMADO!!

JUNG SE DECLARAVA CRISTÃO, E A MAIORIA DE SUAS OBRAS, AS MAIS IMPORTANTES, TRATAM DOS PROBLEMAS RELIGIOSOS DO HOMEM CRISTÃO. 
ELE OS INTERPRETAVA DO PONTO DE VISTA DA TEOLOGIA, LIMITANDO CONSCIENTEMENTE AS FRONTEIRAS COM AS PERSPECTIVAS TEOLÓGICAS.
 ASSIM FAZENDO, ELE PUNHA À EXIGENCIA CRISTÃ DE FÉ A NECESSIDADE DE COMPREENDER .

PARA ELE A REFLEXÃO ERA UM ATO NATURAL E UMA NECESSIDADE VITAL.

ESCREVEU EM UMA CARTA A UM JOVEM SACERDOTE, EM 1952:



" ACHO QUE MEUS PENSAMENTOS GIRAM EM TORNO DE DEUS COMO OS PLANETAS GIRAM EM TORNO DO SOL, E SÃO DA MESMA FORMA IRRESISTIVELMENTE ATRAÍDOS POR ELE.

EU ME SENTIRIA COMO O MAIOR PECADOR QUERER OPOR UMA RESISTÊNCIA A ESSA FORÇA".



JUNG, EM " MEMÓRIAS, SONHOS E REFLEXÕES"

0 comentários: