As mudanças são inexoráveis, fazem parte da vida de todos nós, temos que fluir com elas e acreditar que em tudo há um propósito maior, e que será compreendido mais tarde.
Nas crises, temos que, nas sábias palavras de Roberto Assagioli, " colaborar com o inevitável".

O QUE É UMA CRISE?
Os ciclos são medidas de mudança. Para que qualquer propósito se realize, devem ocorrer mudanças e, necessariamente, mudanças envolvem crises. Muitas pessoas interpretam mal a palavra crise; confundem-na com “ catástrofe”. Elas estudam astrologia, acreditando que o conhecimento antecipado dos “ maus aspectos” ou dos “aspectos maléficos”, fará com que possam evitar as crises.
Contudo, uma crise não é uma calamidade terrível. Ela deriva da palavra grega KRINO, “decidir”, e significa, simplesmente, um momento de tomar uma decisão. Uma crise é um momento decisivo – aquele que precede a MUDANÇA.
Para evitar uma crise, teríamos que evitar a própria mudança, o que constitui uma impossibilidade óbvia.

Embora toda matéria, tanto viva quanto inanimada, esteja mudando constantemente, somente o homem tem a capacidade de tomar uma decisão consciente. Com o fito de evoluir, ele deve abandonar o comportamento instintivo, que serve apenas para a sobrevivência ou as compulsões sociais, em favor da escolha consciente. A barreira para a escolha consciente é ver o “ego”, aquilo que a sociedade disse ao individuo que ele deveria ser, em oposição à experiência do Eu, que lhe diz o que ele realmente é.
É na adaptação social que o indivíduo assume padrões de comportamento habituais.Assim, quando chega o momento de tomar uma decisão ( crise) permitimos que esses padrões determinem a nossa escolha, em vez de seguirmos as linhas de orientação emanadas da nossa própria verdade pessoa.

Infelizmente, está sempre presente a tentação de se evitar o ato de tomar ma decisão, na esperança de que a necessidade desapareça e as coisas permaneçam num confortável estado “normal”. Às vezes esta técnica da á impressão que funciona, e o fio do status quo parece não ter sido rompido; contudo, não importa quão pequenina a decisão ou quão insignificante a crise, este ato de evitar representa, de qualquer modo, uma derrota espiritual.

O fato de recusar-se a decidir, não exime o indivíduo da responsabilidade. Toda vez que uma decisão deixa de ser tomada, os padrões inconscientes e instintivos tornam-se mais profundos.
O que na infância era uma ranhura transforma-se, mais tarde, num sulco e finalmente, numa cova.
Esta repetida ausência de decisão consciente pode, numa determinada circunstancia, aumentar a tensão, fazendo-a finalmente explodir.
O indivíduo será então obrigado a reagir a circunstancias difíceis ou dolorosas, que poderiam ter sido evitadas, caso tivesse ele enfrentado as crises anteriores e menores com objetividade e coragem.
A catástrofe resultante não é uma conseqüência inevitável das crises, mas sim das decisões evitadas.Assim sendo, para os astrólogos humanisticamente orientados, as crises não são eventos externos, embora os eventos externos possam precipitá-los ao condicionar o seu desenvolvimento.

As crises, tanto as grandes como pequenas, representam essencialmente, oportunidades para o desenvolvimento – as únicas oportunidades que realmente temos”.

Ciclos de Evolução
Alexander Ruperti
Editora Pensamento, SP.


A TERCEIRA INTELIGÊNCIA

No início do século 20, o QI era a medida definitiva da inteligência humana.
Só em meados da década de 90, a "descoberta da inteligência emocional mostrou que não bastava o sujeito ser um gênio se não soubesse
lidar com as emoções."
A ciência começa o novo milenio com descobertas que apontam para um terceiro quociente, o da inteligência espiritual.
Ela nos ajudaria a lidar com questões essenciais e pode ser a chave para uma nova era no mundo dos negócios.

Drª DanaZohar - Oxford

No livro QS - Inteligência Espiritual, lançado no ano passado, a física e filósofa americana Dana Zohar aborda um tema tão novo quanto polêmico:
a existência de um terceiro tipo de inteligência que aumenta os horizontes das pessoas, torna-as mais criativas e se manifesta em sua necessidade de encontrar um significado para a vida.
Ela baseia seu trabalho sobre Quociente Espiritual (QS) em pesquisas só há pouco divulgadas de cientistas de várias partes do mundo que descobriram o que está sendo chamado "Ponto de Deus" no cérebro, uma área que seria responsável pelas experiências espirituais das pessoas.
O assunto é tão atual que foi abordado em recentes reportagens de capa pelas revistas americanas Neewsweek e Fortune.

Afirma Dana:
"A inteligência espiritual coletiva é baixa na sociedade moderna.
Vivemos numa cultura espiritualmente estúpida, mas podemos agir para elevar nosso quociente espiritual".*

Aos 57 anos, Dana vive em Inglaterra com o marido, o psiquiatra Ian Marshall, co-autor do livro, e com dois filhos adolescentes.
Formada em fí¬sica pela Universidade de Harvard, com pós-graduação no Massachusetts Institute of Tecnology (MIT), ela atualmente leciona na universidade inglesa de Oxford.
É autora de outros oito livros, entre eles, O Ser Quântico e A Sociedade Quântica, já traduzidos para português.


QS - Inteligência Espiritual já foi editado em 27 idiomas, incluindo o português (no Brasil, pela Record). Dana tem sido procurada por grandes companhias interessadas em desenvolver o quociente espiritual de seus funcionários e dar mais sentido ao seu trabalho.
Ela falou à EXAME em Porto Alegre durante o 300º Congresso Mundial de Treinamento e Desenvolvimento da International Federation of Training and Development Organization (IFTDO), organização fundada na Suécia, em 1971, que representa 1 milhão de especialistas em treinamento em todo o mundo.
Eis os principais trechos da entrevista:

O que é inteligência espiritual?

É uma terceira inteligência, que coloca nossos atos e experiências num contexto mais amplo de sentido e valor, tornando-os mais efetivos.
Ter alto quociente espiritual (QS) implica ser capaz de usar o espiritual para ter uma vida mais rica e mais cheia de sentido, adequado senso de finalidade e direção pessoal.
O QS aumenta nossos horizontes e nos torna mais criativos.
É uma inteligência que nos impulsiona.
É com ela que abordamos e solucionamos problemas de sentido e valor.
O QS está ligado à necessidade humana de ter propósito na vida.
É ele que usamos para desenvolver valores éticos e crenças que vão nortear nossas ações.*

De que modo essas pesquisas confirmam suas ideias sobre a terceira inteligência?

Os cientistas descobriram que temos um "Ponto de Deus" no cérebro, uma área nos lobos temporais que nos faz buscar um significado e valores para nossas vidas.
É uma área ligada à experência espiritual.
Tudo que influencia a inteligência passa pelo cérebro e seus prolongamentos neurais.
Um tipo de organização neural permite ao homem realizar um pensamento racional, lógico.
Dá a ele seu QI, ou inteligência intelectual.
Outro tipo permite realizar o pensamento associativo, afectado por hábitos, reconhecedor de padrões, emotivo.
É o responsável pelo QE, ou inteligência emocional.
Um terceiro tipo permite o pensamento criativo, capaz de insights, formulador e revogador de regras.
É o pensamento com que se formulam e se transformam os tipos anteriores de pensamento. Esse tipo lhe dá o QS, ou inteligência espiritual.

Qual a diferença entre QE e QS?

É o poder transformador. A inteligência emocional me permite julgar em que situação eu me encontro e me comportar apropriadamente dentro dos limites da situação.
A inteligência espiritual me permite perguntar se quero estar nessa situação particular.
Implica trabalhar com os limites da situação.
Daniel Goleman, o teórico do Quociente Emocional, fala das emoções.
Inteligência espiritual fala da alma.
O quociente espiritual tem a ver com o que algo significa para mim, e não apenas como as coisas afectam minha emoção e como eu reajo a isso.
A espiritualidade sempre esteve presente na história da humanidade.

Dana Zohar identificou dez qualidades comuns às pessoas espiritualmente inteligentes. Segundo ela, essas pessoas:

1. Praticam e estimulam o autoconhecimento profundo

2. São levadas por valores. São idealistas

3. Têm capacidade de encarar e utilizar a adversidade

4. São holísticas

5. Celebram a diversidade

6. Têm independência

7. Perguntam sempre "por quê?"

8. Têm capacidade de colocar as coisas num contexto mais amplo

9. Têm espontaneidade

10.Têm compaixão

Na terra do SE




Na Terra do SE

Se quem luta por um mundo melhor
soubesse que toda revolução começa por revolucionar antes a si próprio.

Se aqueles que vivem intoxicando sua família e seus amigos com reclamações fechassem um pouco a boca e abrissem suas cabeças,
reconhecendo que são responsáveis por tudo o que lhes acontece.

Se as diferenças fossem aceitas naturalmente
e só nos defendêssemos contra quem nos faz mal.

Se as pessoas fossem seguras o suficiente para tolerar opiniões contrárias às suas sem precisar agredir e despejar sua raiva.

Se a gente percebesse que tudo o que é feito em nome do amor ( e isso não inclui o ciúme e a posse)
Teria 100% de chance de gerar reações e resultados positivos.

Se fôssemos mais divertidos para nos vestir e mobiliar nossa casa, e menos reféns de convencionalismos.

Se não tivéssemos tanto medo da solidão
e não fizéssemos tanta besteira para evitá-la.

Se todos lessem bons livros.

Se quem não tem bom humor reconhecesse sua falta
e fizesse dessa busca a mais importante da sua vida.

Se em vez de lutar para não envelhecer, lutássemos para não emburrecer.
SE.....

Martha Medeiros




Enviado pela Liane Leipnitz.

MEDITAÇÃO DA ABUNDÂNCIA

MEDITAÇÃO DA ABUNDÂNCIA

Recomenda-se fazer todos os dias no mesmo período, manhã, tarde ou noite.

Eu agora respiro, relaxo meu corpo, permitindo que minha respiração abra todas as áreas do meu corpo que possam estar bloqueadas.
Eu me sinto em paz. Minha mente está clara e alerta, eu estou em paz comigo e com o mundo.
Coloco minha mão no meu coração e afirmo:
“Eu agora estou aberto(a) para receber somente o melhor em minha vida”
Eu me abro para receber luz, permitindo que meu coração seja preenchido com a luz da minha alma.
Eu agora atraio cada vez mais luz em minha vida.
Eu preencho minhas células em luz, preencho cada parte do meu corpo em luz.
Eu me abro para receber alegria, Eu me preencho com alegria da minha alma.
Eu me abro para receber paz, Eu sinto a serenidade da minha alma. Ondas de paz fluem através de mim.
Eu me abro para receber abundância, Eu aceito abundância.
Eu agora permito que a abundância flua em todas as áreas da minha vida.

(Concentrar-se agora na abundância que precisa e quer receber – pense em tudo o que queira manifestar, e depois continue)

Conforme me concentro, sinto a presença da minha alma ao meu redor. Abro-me agora para receber o que estou pensando. Recebo o melhor em minha vida agora.
Aceito que a partir de agora tudo se manifesta sem esforço e de forma alegre em minha vida.
Eu sou um imã. Eu atraio, acredito e mereço ter o melhor em minha vida agora e sempre.
Eu permito que as bênçãos de Abundância façam parte de minha vida.
Eu agradeço ao universo por receber tudo o que eu mereço.
Eu reconheço minha habilidade em receber.
Eu me abro para receber todos os presentes que minha alma queira me proporcionar.
Eu mereço uma vida boa e alegre, uma vida abençoada.
Eu me abro para receber Amor de todos os seres, do Universo e de tudo ao meu redor.
Eu me abro para receber bênçãos especiais e sei que tudo, mas tudo mesmo o que acontece, é para o meu próprio bem.
E de alguma forma, eu colaboro para que estas coisas ocorram através de meus pensamentos e atitudes.
A partir deste momento, deste instante sagrado, eu atraio todas as coisas que sejam para meu bem maior e para o bem de todos.

EU SOU ABUNDÂNCIA, EU SOU FELIZ, EU SOU SAUDE, EU SOU AMOR, EU SOU PAZ, EU SOU FÉ, EU SOU LUZ!