Por Tereza KawallA Astrologia é a leitura da linguagem simbólica, da energia criadora que se manifesta na natureza como um todo. Os quatro elementos - terra, ar, fogo e água- representam diferentes formas de expressão dessa energia e são os construtores invisíveis das estruturas da vida. Cada elemento é portanto, um tipo básico de consciência ou atividade que opera em cada indivíduo. Cada pessoa responde a essa influencia de um modo particular, conforme o padrão básico que corresponde ao seu mapa de nascimento. Cada um dos quatro elementos é representado
por três signos:FOGO: Áries, Leão e Sagitário
TERRA: Touro, Virgem e Capricórnio
ÁGUA: Câncer, Escorpião e Peixes
AR: Gêmeos, Libra e Aquário
Nesta postagem falaremos das características essências do
elemento fogo:O Fogo é a energia radiante, fonte de calor, luz e expansão. Exatamente como sua expressão na natureza, os indivíduos que tem ênfase nesse elemento são exuberantes, ardentes, espaçosos e apaixonados. Sua energia flui espontaneamente, surgindo de uma forma dinâmica, criativa e voluntariosa.

Esta auto-expressão de caráter intuitivo é fundamental para a as pessoas de fogo. Para estes indivíduos, a vida é um infinito mar de possibilidade a serem exploradas, sem fronteiras ou limites. Na afirmação da vida e da individualidade, estes signos tendem a seguir sempre em frente, superando a cada momento o que ficou no passado, pois é no futuro que estão as suas metas.


São capazes de inspirar, conduzir, liderar e apoiar os outros e é aí que se encontra grande parte de seu carisma. Possuem fé inabalável na generosidade do destino, jogando com a vida, dinheiro e emoções, muitas vezes de forma irrefletida, sem avaliar as conseqüências de seus atos.
Têm o hábito de exagerarem suas atitudes, dramatizando as situações até mesmo quando estão sozinhos. Na verdade, eles precisam deste colorido teatral das suas fantasias para se sentirem vivos.

Se porventura entram em contato com a monotonia da vida são capazes de entrar em pânico. Em seu lado sombrio, o fogo é demasiadamente auto-centrado, o que pode tornar o indivíduo insensível às condições ou sentimentos dos outros.
O orgulho, a vaidade ou a dificuldade de aceitar limites dificultam o reconhecimento de seus erro e esta característica infantil pode às vezes impedir ou retardar a sua maturidade psicológica.
“Os quatro elementos da astrologia ( fogo, ar, terra e água) são os blocos básicos para a construção de todas as estruturas materiais de todos orgânicos. Cada elemento representa um tipo básico de energia e consciência, operando em cada um de nós.
Assim como a física moderna demonstrou que energia é matéria, os 4 elementos se entrelaçam e combinam para formar toda a matéria”.

Stephen Arroyo, em Astrologia, Psicologia e os quatro elementos.

A NOTÍCIA QUE QUEREMOS VER




















Por Tereza Kawall

Passados 70 dias..
30+30+10 dias...
Assistimos todos emocionados
O desfecho surpreendente para um fato, que seria entre outros milhares,
mais um com um final “ não feliz”.
Esses 33 homens foram soterrados física, mas não espiritualmente,
Quanta força!

Se a fé move montanhas,
Nesse caso, aliada à tecnologia
A fé também abriu a montanha
E esta, perfurada, deu à luz, como uma mãe
Permitindo que seus filhos fossem ejetados do escuro
Para uma nova vida.

A despeito de toda exploração comercial deste evento
Que continuará jorrando em torno desta notícia, convites, presentes
E inúmeros documentários sobre os “ mineiros já celebridades”,
Creio que há um esgotamento
Emocional, visual e até existencial
Por parte de nós, telespectadores, em função do excesso
De notícias tristes e desesperançosas do nosso noticiário.

Esse fato poderia levar toda a mídia a repensar
Um tipo de “ bordão”, que faz a “ pauta” ser sempre mais do mesmo:
Notícia boa não vende!
Não vende o quê exatamente?
Shampoo, cortina, terrenos e salsichas?
E a vida se reduz a isso?

Se assim fosse, não teríamos ficado horas a fio
Tão encantados e emocionados vendo estas fortes imagens
Do resgate desses bravos homens.
De solidariedade, companheirismo, de fé, e os gritos da torcida!
Para cada “ recém-nascido” uma explosão de alegrias e lágrimas.
A vida não tem valor?
Então o abraço de reencontro entre o pai e seu filho de sete anos
Não vende o quê?

Sentir orgulho por homens corajosos
Importantes e heróicos porque tem caráter e dignidade nas adversidades
Se não vende, faz um bem danado à alma da gente!

Já é hora de se repensar e sobretudo mudar
Esses paradigmas da comunicação
Que engessam a qualidade da informação.
Nossas televisões deveriam ser mais corajosas,
Mostrar mais beleza, mais artes, mais conquistas,
Mais lutas a favor da natureza e dos animais
Exibir menos filmes violentos e mais pessoas inspiradoras.

Deveriam abrir espaços diferentes em nossas mentes
Empobrecidas e anestesiadas pela violência da miséria urbana.

Nossa sobrevivência,as relações pessoais, e toda a jornada humana
Já têm, por si mesmas, complexidades, desafios e espinhos de sobra.

Porque não o espontâneo e o verdadeiro?
Porque não o bom e o belo?





"Durante o século XVIII, as ciências e as tecnologias que haviam surgido no Ocidente a partir do renascimento, começaram a mudar a face do mundo. Inventos rapidamente se sucederam uns aos outros: o motor a vapor, a máquina debulhadora, o descaroçador de algodão e o antigo telégrafo; a impressora de rolo, o motor eletromagnético, a colhedeira e o telefone. Logo as descoberta da das células, das bactérias e do raio-X transformou o mundo da medicina.
Neste século, a teoria quântica, a teoria da relatividade e a fissão do átomo inauguraram a nova era da tecnologia nuclear, revolucionando nossos conceitos de tempo e espaço.

Século após século,a cultura humana se construiu sobre si mesma. O relâmpago que pôs fogo na floresta de onde o homem primitivo roubou as suas primeiras chamas, foi mais tarde utilizado para provar a existência da eletricidade. Carroças de rodas maciças inspiraram a criação de bigas com rodas de aros e,posteriormente , trens de ferro foram sendo refinados e movidos sucessivamente por cavalos e bois, vapor, eletricidade e gasolina.
Hoje combustíveis mais potentes propulsionam aeronaves que navegam para o espaço exterior, explorando planetas que nossos ancestrais apenas podiam admirar no céu da noite.

Emergindo da utilização de ferramentas de pedra, fogueiras, jarros de barros e peles de animais, a civilização humana ascendeu a um plano inimaginável a nossos ancestrais.

... A Terra e o Sol que a alimenta, foram criados por uma conjunção de circunstancias que não compreendemos inteiramente. Elementos formados em partes desconhecidas do universo juntaram-se e estabilizaram-se dentro de um equilíbrio dinâmico para dar forma ao nosso mundo e às suas características.


No curso do tempo, eles deram origem a uma variedade especial de moléculas, dotadas de códigos capazes de gerar células vivas. Num processo que ainda hoje parece milagroso, a Terra foi sendo preenchida por inúmeras formas de vida. Dentre estas, somos a mais recente e, possivelmente a mais inteligente.

Embora não seja possível sabermos a duração do nosso tempo, neste momento temos uma oportunidade preciosa de participar plenamente da vida e preencher o destino do ser humano.
Qual seria a melhor maneira de acrescermos àquilo que nos foi dado pela natureza e pelos esforços daqueles que nos precederam? Que futuro vamos construir para nós mesmos e para aqueles que nos sucederão? Que sabedoria informará as nossas ações? Que visão irá nos guiar e nos inspirar a preservar todo o que há de bom para os seres humanos e para a Terra, pondo de lado tudo o que era destrutivo?

Se as nações do mundo se unissem por laços de paz e amizade, compartilhando conhecimentos, tecnologias e recursos para elevar a qualidade de vida de todos os seres humanos, que limites haveria para os benefícios que poderiam ser colhidos?


Utilizando o poder da inteligência humana, em toda a sua extensão, podemos buscar as causas que estão na raiz das dificuldades entre pessoas, culturas e nações, e descobrir o conhecimento de que precisamos para criar o melhor futuro possível para todos os povos do mundo”.
Autor: Tarthang Tulku
Livro: Conhecimento da Liberdade: Tempo de Mudança
Editora Dharma, 1990
Instituto Nyingma do Brasil

ASAS PARA QUÊ?

Foto de Araquém Alcantara



" O simbolismo do vôo traduz uma ruptura efetuada no
universo da experiência cotidiana.
A dupla intenção desta ruptura é evidente e a um
só tempo a transcendência e a liberdade que se obtém
com o vôo.
O vôo expressa a inteligência , a compreensão das coisas secretas
ou das verdades metafísicas.

Aquele que compreende tem asas"

Mircea Eliade