Simbologia Astrológica

Roberto Sicuteri


“ Referindo-nos à linguagem astrológica, nós vemos que os símbolos se agrupam para formar um discurso e ativam um dinamismo capaz de provocar formações arquetípicas além do nível de alcance racional mental, para chegar às camadas mais inconscientes, onde as imagens e os símbolos operam através do tempo para então modificar a atitude consciente do sujeito.

E qual a função dos símbolos astrológicos no campo da psicologia do homem? A resposta mais imediata é esta: os símbolos da astrologia são capazes de estimular a realidade interior do homem em suas estruturas mais profundas, colocando-o em relação com os objetos projetados para o exterior na representação planetária ( relação entre o microcosmo e o macrocosmo).

A linguagem astrológica está estruturada na relação existente entre o céu e o homem, onde o céu é o significante e o homem é o significado. Assim, o céu, no momento exato de uma nascimento, com a sua particularíssima configuração astral ( base do horóscopo), é o significante do indivíduo que nasce, e este, através da leitura do próprio mapa, é levado a entrar em contato com o seu firmamento interior arquetípico.
Esse símbolos operam, portanto, na base científica astronômica( uma vez que os planetas no céu são uma realidade!), e no princípio de sincronicidade e analogia, conforme expressa Carl Gustav Jung.

Os símbolos astrológicos, assim, não são de forma alguma causais e deterministas. Ao contrário, queremos categoricamente especificar que no discurso astrológico não existe de forma alguma uma relação de causa e efeito. Pelo contrário, existe a realidade segundo a qual cada homem, no momento de nascer, é “ enquadrado” em uma determinada configuração astral e essa configuração é como que fotografada na psique inconsciente sob a forma de mensagem ou memória arquetípica”.

Roberto Sicuteri
Livro: Astrologia e Mito: símbolos e mitos do zodíaco na psicologia profunda.
Editora Pensamento
Deixe um comentário!

1 comentários: