Dúvidas no caminho


“Nossa mente, no entanto, está marcada e confundida pela dúvida. Às vezes penso que a dúvida é um obstáculo para a natureza humana ainda maior que o desejo e o apego. Nossa sociedade promove a esperteza no lugar da sabedoria, celebrando os aspectos mais superficiais , mais desarmônicos e menos úteis da nossa inteligência.

Nós nos tornamos tão falsamente " sofisticados” e neuróticos que tomamos a própria dúvida pela verdade, e a dúvida que não é nada mais do que uma tentativa desesperada do ego para se defender da sabedoria é endeusada , como meta e fruto do verdadeiro conhecimento.

Essa forma de dúvida barata é o imperador maltrapilho do samsara, servido por um rebanho de “ peritos” que nos ensinam não a dúvida generosa e de alma aberta que o Buda nos assegurou ser necessária para verificar o valor dos ensinamentos, mas uma forma destrutiva de dúvida que nada nos deixa para acreditar, nada em que colocar a nossa esperança, nada por que viver".

“Nossa educação contemporânea, assim, doutrina-nos para a glorificação da dúvida e criou o que se poderia chamar de uma religião ou teologia da dúvida, em que para ser vistos como inteligentes precisamos duvidar de tudo, indicar sempre o que é errado e raramente perguntar o que está certo ou é bom, denegrindo cinicamente todos os valores espirituais e filosofias que recebemos como herança, bem como tudo que é feito com simplicidade, de boa vontade ou com inocência no coração”.

“ Não se apresse demais em resolver todos os seus problemas e esclarecer todas as suas dúvidas, como dizem os mestres: “ Apressa-te devagar”. Sempre recomendo aos meus discípulos que não alimentem expectativas exageradas, porque o crescimento espiritual tem o seu tempo. Leva muitos anos para aprender perfeitamente o japonês ou para se tornar um médico: será que de fato podemos esperar ter todas as respostas, sem falar em alcançar a iluminação, em poucas semanas? A jornada espiritual é uma jornada de aprendizado e purificação contínuos. Quando você descobre isso, torna-se humilde”.

Extraído do Livro:
O livro Tibetando do Viver e do Morrer
Autor: Sogyal Rinpoche
Editora Talento e Palas Athena

2 comentários:

  • Denise | 25 de maio de 2010 12:15

    Tereza, amiga tão especial, passa lá no Blog pra buscar um presentinho que meu coração escolheu te oferecer...

    Bjo carinhoso, saudade de vc!!

  • Adelia Ester Maame Zimeo | 26 de maio de 2010 20:04

    Tereza Querida, quanta inspiração ao inserir esta linda imagem tão bem conjugada ao texto! Aprendizado, renovação, aprimoramento são constantes no fluxo de nossas vidas. A evolução espiritual é fruto deste processo, desde que o ser tenha canais abertos e recursos internos para abstrair o significado maior subjacente em tudo. Beijo Afetuoso.