Astrologia Arquetípica

Zeus e Hera



“A Astrologia tem como base a idéia da harmonia universal. Seu princípio fundamental está expresso na frase” assim como está em cima, está abaixo", é pressuposto de que o microcosmo da psique humana reflete o macrocosmo e de que os acontecimentos terrestres espelham os acontecimentos celestes.
Na Grécia Helênica, os astrólogos refinaram os cálculos astronômicos e determinaram divindades mitológicas específicas para os diferentes planetas, refletindo as associações mitológicas já estabelecidas pelos babilônios. Eles então usaram esse sistema para prever os acontecimentos coletivos, assim como aqueles das vidas dos indivíduos.

A perspectiva astrológica reflete rigorosamente o significado original da palavra grega Kosmos, que descreve o mundo como um sistema inteligivelmente ordenado, configurado e coerentemente interconectado com a humanidade como uma parte integral do todo. Nesta visão, a vida humana não é o resultado de forças fortuitas regidas pelo acaso caprichoso, mas segue uma trajetória inteligível que está em sintonia com os movimentos dos corpos celestes e que assim pode ser intuída ao menos parcialmente.

O pensamento astrológico pressupõe a existência de arquétipos, princípios primordiais intemporais que fundamentam, informam e formam a estrutura do mundo material.
A tendência para interpretar o mundo nos termos dos princípios arquetípicos surgiu inicialmente na Grécia antiga e foi uma das características mais notáveis de várias perspectivas diferentes.

Nas epopéias homéricas, eles tomaram a forma de figuras mitológicas personificadas como divindades, tais como Zeus, Posseidon, Hera Afrodite ou Ares.
Na filosofia de Platão, foram descritos como princípios metafísicos puros, as Idéias ou Formas transcendentes. Eles possuíam sua própria existência independente em um reino inaccessível aos sentidos humanos normais. Nos tempos atuais, Carl G. Jung trouxe o conceito de arquétipo para a psicologia moderna, descrevendo-os principalmente como princípios psicológicos”.

Do livro: Psicologia do Futuro- lições das pesquisas modernas de consciência
Stanislav Grof
Editora Heresis.

1 comentários:

  • Adelia Ester Maame Zimeo | 9 de abril de 2010 23:44

    Tereza Querida, estou de volta e encontro como sempre, tanto de belo aqui. Vou apreciar tudo com a maior alegria. Adoro todas as suas composições. Antes que em esqueça, adquiri (no mesmo dia em que nos falamos ao fone,no Hospital)a revista Planeta e que entrevista maravilhosa você realizou com a Sheila. Aliás a contribuição dela é valiosíssima, por toda vivência que possui. Saudades! Beijos.