Constelações

Fotografia de uma constelação
Karl von Eckhartshause, "Chaves da magia, o alfabeto celeste", 1788.
As estrelas vivas são os sinais de fogo com os quais Deus escreve os mistérios profundos do Universo.
No “ Zohar”, um dos textos mais importantes da literatura cabalística está escrito:
“ Nos espaços infinitos se encontram figuras e sinais que podem revelar os segredos mais profundos. Estas figuras luminosas são os caracteres com os quais o Altíssimo criou o Céu e a Terra”.
As estrelas e as constelações são assinaturas do alfabeto natural com o qual foram criadas todas as coisas terrestres.

O artista visionário reconhece os sinais do céu e os reproduz em sua obra. Com eles cria um microscosmo, ou seja, organiza o caos, dando-lhe uma forma. Um mago renascentista, Agripa Neheseim, escreveu o seguinte a respeito dos signos celestes:
“ Os caracteres de seu alfabeto estão formados à imagem das estrelas e por isso repletos de mistérios celestes, tanto por sua aparência, forma e significado, como pelo valor numérico que eles contém”


Joan Miró, " Constelações", 1940




Visite o site sobre simbolismo tradicional:
http://www.arsgravis.com/

2 comentários:

  • Edilson | 7 de março de 2010 12:51

    Lindo texto, Tereza. Para mim faz tanto sentido, uma vez que imagino as estrelas como reflexos e como espelhos. Quando uma estrela está prestes a explodir, seus componentes criam o ferro, tão fundamental para a criação do ser humano, e quando explode e vira uma super nova, essa poeira cósmica estelar se espalha por todo o universo. E um dia, os polinizadores que carregam em si esse pó (cometas e asteroides) vêm bater aqui na Terra, onde se misturam com outros componentes químicos que resultaram em nós. Somos Todos Um.
    bjs