Siga seu Sonho



"Sonhar é a principal função da mente, e os sonhos da mente duram 24 horas por dia. Quando o cérebro está desperto, existe uma moldura material que nos faz perceber as coisas de forma linear. Antes que viéssemos ao mundo, os que existiram antes de nós criaram um grande sonho exterrno que denominamos SONHO DO PLANETA - um sonho coletivo de bilhões de sonhos pessoais menores. Nascemos com a capacidade de sonhar, e os seres humanos que viveram antes de nós nos ensinaram a sonhar da forma que a sociedade sonha.


Não escolhemos as crenças que nos ensinaram e poderíamos ter nos rebelado contra elas, mas não tivemos força suficiente para provocar tal rebelião e com isto cedemos às crenças. Elas tiveram nosso consentimento. Aceitamos o processo de domesticação e através da domesticação aprendemos como viver e como sonhar.

Fingimos ser o que não somos porque temos medo de ser rejeitados. E por fim, nos tornamos cópias das crenças de mamàe, de papai, da sociedade e da religião. A domesticação é tão forte que num ponto determinado de nossa vida não precisamos mais que ninguém nos domestique. Somos tão bem treinados que passamos a ser nosso próprio treinador.

Se quisermos viver uma vida de alegria e realização, precisamos encontrar coragem para romper com os compromissos baseados no medo e no SONHO DA TERRA. Temos que reclamar nosso PODER PESSOAL. Cada um de nós nasce com uma determinada quantidade de poder pessoal, que desperdiçamos no dia a dia para manter compromissos que nos atrelam ao sonho do planeta.


Se não gostamos do sonho da nossa vida, precisamos alterar os compromissos que nos regulam. A cada vez que rompemos um pequeno acordo, o PODER usado para criá-lo retorna a nós. E então em vez de viver um sonho dos outros, viveremos nosso próprio sonho."

Livro: Os quatro compromissos
Don Miguel Ruiz

1 comentários:

  • Adelia Ester Maame Zimeo | 8 de setembro de 2009 20:03

    Tereza, que imagem fabulosa! Eu penso que vivemos uma parte de nossas vidas, imaginando sermos quem os outros pensam ou desejam que sejamos. E uma outra parte, descobrindo quem realmente somos e indo na direção, até efetivarmos nossa comunhão plena conosco. Beijos. P.S. Adoro seu blog!