Sabedoria


Jung cortando gravetos, 1958.

“ Guardo minha luz e meu tesouro, convencido de que ninguém lucraria – e eu mesmo seria ferido sem esperança – se a perdesse. Ela é o que há de mais alto e precioso, não somente para mim como também, sobretudo, para as trevas do Criador, que necessita do homem para iluminar sua Criação. Se Deus houvesse previsto inteiramente seu mundo,este seria uma mera máquina sem sentido e a existência do homem um inútil capricho.
O Intelecto pode vislumbrar a última necessidade, mas a totalidade do meu ser diz “ Não” a isso...
Sinceramente seu",
(*)CG Jung, 14 setembro 1960.

“ Quando Lao-Tse diz: “ Todos os seres são claros, eu sou um turvo”, exprime o que sinto em minha idade avançada. Lao-Tse é o exemplo do homem de sabedoria superior que viu e fez a experiência do valor e do não-valor, e que no fim da vida deseja voltar a seu próprio ser, no sentido eterno e incognoscível. O arquétipo do homem idoso que contemplou suficientemente a vida é eternamente verdadeiro; em todos os níveis da inteligência, esse tipo aparece e é idêntico, quer se trate de um velho camponês ou de um grande filósofo como Lao-Tse.

Assim, a idade avançada é... uma limitação, um estreitamento. E no entanto, acrescentou em mim tantas coisas: as plantas, os animais, as nuvens, o dia e a noite e o eterno no homem.
Quanto mais se acentuou a incerteza em relação a mim mesmo, mais aumentou o sentimento de parentesco com as coisas. Sim, é como se essa estranheza que há tento tempo me separava do mundo tivesse agora se interiorizado, revelando-me uma dimensão desconhecida e inesperada de mim mesmo”.
(**)Carl Gustav Jung


(*)Carta de Jung para Miguel Serrano
Do livro : O círculo Hermético: Hermann Hesse a C.G. Jung
Autor: Miguel Serrano
Editora Brasiliense, 1973

(*)Do livro: Memórias, Sonho e Reflexões
Editora Nova Fronteira, 1975.




1 comentários:

  • Adelia Ester Maame Zimeo | 31 de agosto de 2009 23:37

    Na idade avançada, as limitações físicas dão espaço à expansão da alma, que se funde e leva à unicidade do ser consigo próprio e com tudo que o rodeia. Tereza, bela seleção de Jung e suas ricas contribuições. Beijo.