Divindades


Mandala tibetana século 14
"Ao contemplar uma mandala você está interiormente harmonizado ; os símbolos religiosos são poderes harmonizadores. Eles ajuam. Esse é todo o sentido da mitologia: ajudá-lo a harmonizar a sua vida indiviual
com a vida da sociedade.
A idéia básica da filosofia é que as divindades são personificações simbólicas das próprias imagens que são você mesmo. E as energias que vêm de você próprio são as energias do universo. E, assim, deus está lá fora e também aqui dentro. Sim, o reino dos céus está dentro de você, mas também em todo lugar.

Falando em divindades em termos adequados a essas tradições mitologicamente fundamentadas, digo que a divindade é a personificação da energia. É a personificação de uma energia que dá forma à vida. Toda a vida. A sua vida. A vida no mundo. E a natureza da personificação será determinada elas circunstancias históricas. A personificação é folclórica; a energia é humana. E assim as divindades provém das energias. E elas são mensageiros e veículos, por assim dizer, das energias.

A fonte dos deuses está no seu coração. Siga as pegadas até o centro e saiba que é de você que os deuses provém.

Sonho, visão, deus. Os deuses do céu e do inferno são o que poderíamos chamar aspecto cósmico do sonho. E o sonho é o aspecto pessoal do mito. Sonho e mito pertencem a mesma ordem. E você e seu deus são uma só coisa. Isso é você e o seu deus sonhando. E o seu deus não é o meu. Portanto, não tente impingi-lo a mim. Cada um tem a sua própria deidade e consciência".
Joseph Campbell – Vida e Obra
A jornada do herói
Editora Agora, São Paulo.


1 comentários:

  • Adelia Ester Maame Zimeo | 16 de agosto de 2009 21:12

    "A fonte dos deuses está no seu coração. Siga as pegadas até o centro e saiba que é de você que os deuses provém". Nesta frase está contida a base para nossa re-ligação com nosso centro divino. Tereza, muito bem lembrado Campbell! E que magnífica imagem você selecionou! Tudo muito lindo! Beijos.