Árvore da Vida


“ O homem moderno muito freqüentemente vive “nas alturas”. Falta-lhe o contato com a sua terra interior. Quando se estabelece esse contato, o centro da consciência se desloca, produzindo o que certos ensinamentos espirituais denominam “ a decida da cabeça ao coração”.

É a operação alquímica da quadratura do circulo, um dos nomes do início da obra. O círculo é o céu, o quadrado é a terra.O círculo transformado em quadrado é o “céu terrestre”. Muitas mandalas representam precisamente um círculo inscrito num quadrado. A coincidência de dois planos faz nascer em nós um sentimento de fecundidade.

Do inconsciente sobem forças que renovam nossa vida sem cessar, impedindo a esclerose do hábito.
Aí estão o “rio da vida” e a “árvore da vida”, também denominada de “árvore filosófica”.

Etienne Perrot
Revista Planeta Especial sobre Jung, 1975)

2 comentários:

  • Adelia Ester | 4 de maio de 2009 20:05

    Realmente, o homem moderno (de um modo geral) vive desconectado de sua real essência, o que acarreta uma significativa descompensação. Tereza, você selecionou uma imagem lindíssima de árvore, que ilustra muito bem a árvore da vida. Beijo.

  • Adelia Ester | 4 de maio de 2009 20:20

    Realmente, em nossa época atual, as pessoas (em sua maioria) vivem desconectadas de sua real essência. Isto gera uma significativa descompensação que por sua vez ocasiona os males da atualidade. Tereza, linda imagem selecionada por você. Simboliza muito bem a árvore da vida: copa frondosa e raízes fortes e profundas. Beijo.