Voltar às raízes

Joan Chittister, freira beneditina, palestrante e escritora, voz importante na espiritualidade contemporânea.


"Porque apenas não partimos de onde estamos, largamos o que estamos fazendo e "nos afastamos de tudo"? Poque não podemos. Porque simplesmente não é possível. Em primeiro lugar, o poder daquilo que nos é familiar nos chamará de volta sempre. De onde viemos é uma grande parte daquilo que somos. É a raiz da nossa identidade, o lugar do nosso crescimento. Nâo pode ser simplesmente ser desprezado, porque não está fora de nós; está dentro de nós - e sempre estará. Lutar com nossas raízes faz parte do crescimento espiritual humano."


" Precisamos, solitários naturais ou não, da oportunidade de às vezes dar uma volta amigável pelo deserto da nossa vida com os outros que trilham o mesmo caminho, na esperança de que eles possam enxergar o terreno com novos olhos.

"Precisamos refletir com outras pessoas sobre as perguntas que nos atormentam. Buscamos compreender com os outros que podem ser mais sábios que nós....

Também precisamos oferecer nossos próprios dons de forma que não nos tornemos o santuário do minúsculo deus ao qual adoramos".

"Por fim, não vivemos por causa de nós mesmos. Como os magos da história de Natal, todos viemos carregando presentes como ouro, incenso e mirra - recursos, espírito e cura - que nos foram dados por causa dos outros, para que o mundo possa se tornar um lugar melhor porque estivemos aqui. Afinal de contas , nós seguimos o Jesus que deu todos os seus presentes por causa daqueles que viriam.
"Afastar-se de tudo" então é um mito. Esse não é o propósito da vida. O propósito da vida é ir onde precisamos ir - aonde quer que seja - para obter mais do que a nossa alma deve ter para fluir outra vez".



Extraído do livro: Bem-vindo à sabedoria do mundo
Joan Chittister
Editora Thomas Nelson Brasil
Rio de Janeiro , 2008